Museu da Imagem e do Som deve sair em 2019

0
608

Edição 282 – 20/03/19 a 20/04/19
Editorial

MIS 2019

A promessa de um novo ícone na paisagem cultural da cidade transformou-se em uma obra inacabada no Coração de Copacabana. Desde 2010, a nova sede do Museu da Imagem e do Som virou mais um símbolo do descaso com a nossa cidade.

A inauguração, inicialmente prevista para 2012, foi alterada para 2014, depois para o final de 2016 e agora, segundo o Ministério da Cultura (MinC), a promessa é de que seja agora, em 2019.

O custo durante os últimos oito anos, segundo o MinC, foi de cerca de R$ 70 milhões, destinados pelo governo federal por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Com o reinício das obras serão investidos, pelo menos, mais US$ 20,8 milhões (cerca de 75 milhões de reais). Mais de 140 milhões de reais e nove anos para a construção de uma unidade.

O acervo tem mais de 300 mil itens, incluindo filmes, fotografias, áudios, discos, partituras, livros. Destaque para mais de mil depoimentos e de 4 mil horas de gravação sobre a nossa cultura, vasto material de arquivo da Rádio Nacional do Rio de Janeiro e coleções que compilam raridades de artistas como Dorival Caymmi, Carmen Miranda e Jacob do Bandolim. O acervo do Museu Carmen Miranda, atualmente desativado, vem para somar ao MIS.
O edifício em estilo contemporâneo “desconstrutivista” reproduz o famoso calçadão, dobrado e transformado em boulevard vertical. O projeto prevê oito pavimentos interligados por rampas, escadas e elevadores, salas para exposições, espaços destinados à pesquisa, salas administrativas, salas para atividades didáticas, teatro/cinema, lojas, cafeteria e um restaurante panorâmico, ainda, subsolo com atração noturna, térreo e terraço com cinema ao ar livre. A bela vista da orla de Copacabana dará o toque mais que especial, em 9,8 mil metros quadrados.

O MIS guarda, além de objetos antigos, o que está acontecendo no presente, estando também voltado para o futuro, ele registra e preserva a memória da nossa cultura, cidade e país e merece essa nova casa.

Que o descaso finalmente se transforme ícone da nossa história. Que não passe desse ano! Estamos atentos.