EGOÍSMO

0
912

Edição 283 – 20/04/19 a 20/05/19
Amor aos bichos
Dr. Jayme Sandall Junior – CRMV-RJ 7122 / desvet.blogspot.com

Recentemente uma senhora entrou no elevador com dois cachorros, um deles uma mestiça de tamanho médio, muito brava. Ela estava com uma coleira fina, e sem focinheira.
Eu, que já estava no elevador antes, com meus dois filhos pequenos, tive que me acuar no canto enquanto a mestiça avançava nos meus filhos.
Fiquei com medo. Sendo médico veterinário, percebi os sinais de ataque e a ferocidade da cadelinha. Vi a coleira fina e pensei: “se arrebentar, como vou proteger meus filhos?”.
Nervoso, argumentei com a dona que deveria ter colocado focinheira na mestiça, já que ela tinha um tamanho médio e era brava. E mais, disse a ela que não deveria ter entrado no elevador – um espaço minúsculo onde eu e meus filhos não tínhamos para onde ir.
Para minha surpresa ela riu. Estava achando graça. Estava tranquila apesar do meu medo, constrangimento e nervosismo.
Em outro caso absurdo, duas semanas depois, uma amiga passeava na Zona Sul quando um cachorro grande, feroz e sem focinheira atacou sua filha de dois anos. Arrancou a menina do carrinho e atirou-a no chão. Machucou bastante a criança até a mãe conseguir tirá-la de lá.
Dias depois, o mesmo cão passeava sem focinheira…
– Por quê?
– Por que tamanha teimosia?
– Por que arriscar um acidente?
Infelizmente o motivo é o egoísmo.
Os cães, nesses casos, são tão vítimas quanto os atacados. Eles não têm a menor culpa de nada. Culpados são aqueles responsáveis pelos animais, e que deveriam zelar pela convivência pacífica, colocando focinheira em seus cães para evitar qualquer problema.
Deveriam pensar na comunidade em que vivem, e não apenas em si próprios.
Deveriam ser mais civilizados e respeitar mais os animais de quem são responsáveis e as pessoas com quem convivem.
Deveriam, enfim, ser menos egoístas.
Grande abraço e até a próxima.